sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Era apenas uma brincadeira de criança...

Quando me perguntam o que eu faço na vida, digo, primeiro, que sou surfista profissional, minha maior paixão. Sou feliz por fazer o que eu realmente amo: surfar! Depois, sou jornalista e também modelo, não uma top model, mas dá para quebrar o galho... (risos). Comecei a surfar aos quatro anos com um bodyboard rosa de tartaruga no pico “Sobre as Ondas”, em Pitangueiras. Ainda criança, me mudei para praia do Francês, em Maceió, que foi onde tudo realmente começou. Por um bom tempo, me contentei brincando de ficar em pé no meu bodyboard, mas depois comecei a “roubar” a prancha do meu irmão –até dar a maior confusão em casa. Então, no meu aniversário de 12 anos, meu pai me deu a minha primeira prancha de surfe. Ela era linda, rosa e azul, e coloquei o nome dela de Penélope Charmosa!

A partir daí, descobri o que eu iria ser quando crescesse.

Aos 14 anos, comecei a competir quando fui de férias para casa da minha avó Mima, no Guarujá; estava rolando uma etapa do “Surftrip”, campeonato brasileiro de surfe profissional e amador. Lembro que fiquei deslumbrada ao ver aquelas meninas que eu só via nas revistas e televisão, como Andréa Lopes, Jacque Silva e outras. Resolvi me inscrever e corri a categoria amadora; fiz final e fiquei em quarto lugar. Depois, acabei participando das próximas etapas e estava disputando o título brasileiro sem nem saber...

Arrumei um patrocínio e tinha certeza de que era isso que eu queria da minha vida. Mas tinha um porém: as férias acabaram e eu tinha que voltar para Maceió, onde morava com meus pais. Sabia que, se voltasse, eu não iria poder competir e viver do surfe, como eu queria. Então, falei para eles que eu não voltaria. Eles riram, é lógico. Mas depois de muita conversa, eles falaram que só deixariam se a minha avó concordasse que eu morasse com ela. A partir desse dia, comecei a comer as minhas comidas favoritas todos os dias, a “famosa comidinha da vó Mima”...

Desde então, moro na casa da minha avó e morro de saudades dela sempre que viajo! Ou seja, vivo com saudades... Nos poucos momentos em casa aproveito muito ela e todas as coisas gostosas que ela faz para mim!

Esse e um pedacinho da minha história... e espero construir muitas coisas boas durante esse caminho!



Era apenas uma.....


brincadeira de criança....